Casa da Esteira Reserva Tinto 2014

Casa da Esteira é uma nova marca de vinhos do Douro, produzidos pelos Parceiros na Criação e foi apresentada há dias na garrafeira Wines 9297 em Telheiras. É a entrada num novo segmento, um salto qualitativo para os vinhos deste projecto familiar duriense originario de Tabuaço.

Para esta apresentação João Nápoles e Joana Pratas trouxeram três vinhos, o H’our Tinto 2012 e os dois novos vinhos da marca Casa da Esteira, o Reserva 2014 e o Touriga Nacional 2015.

Passemos à prova:

Hour Tinto 2012
Produzido com 80% de vinha velha, 10% de Touriga Nacional e 10% de Sousão. As vinhas velhas estão localizadas em Valdigem, a 350 metros de altitude e têm cerca de 70 anos. Predominam a Touriga Franca e a Tinta Roriz. As vinhas novas são de Tabuaço. Depois de pisa a pé e fermentação em lagar, o vinho estagiou durante 1 ano em barrica. Este vinho já conhecia, já o tinha provado quando chegou ao mercado e verifico que está numa boa fase de evolução. O aroma mais evoluido, com fruta preta madura e alguma sugestão de barrica, é bem balanceado por boa acidez, num conjunto estruturado e de boa persistência final.

Casa da Esteira Reserva Tinto 2014
O novo reserva tinto do produtor e o meu favorito desta sessão.
Todo ele produzido a partir de vinhas velhas de duas localizaçãoes distintas, Valdigem e Tabuaço, esta última com predominancia de Tinta Amarela. Pisa e fermentação em lagar. Segunda fermentação em Inox, seguido de estágio de 14 meses em barrica usada.
Distingue-se pela complexidade aromatica, com a barrica, a fruta e umas sugestivas notas a vegetal seco e especiarias, muito bem integradas. A boca revela-se fresca, de acidez salivante, com tanino fino, num vinho estruturado, saboroso e de bom comprimento final. Nota-se um grande salto qualitativo neste vinho, com a barrica muito bem trabalhada e os 14º de alcool perfeitamente casados com o conjunto. Foram cheias 2000 garrafas e o preço de venda ao público rondará os 17€.

Casa da Esteira Touriga Nacional 2015
Vinha em Tabuaço a 500 mts de altitude, já plantada por João Nápoles em 2005. O método de vinificação é semelhante ao reserva.
Aroma jovem, frutado sem excessos, sugestões de barrica em conjunto com leves notas florais e vegetais. Na boca mostra-se num estilo contido, jovem, com estrutura e taninos para durar muito tempo. Uma Touriga mais frutada que floral. Apenas 1200 garrafas com um preço a rondar os 17€.

A enologia está a cargo de Pedro Francisco. Para o final do ano está previsto o lançamento do Casa da Esteira Reserva Branco.

Estão de parabéns os autores deste projecto. A aposta continua a ser nas castas tradicionais do Douro e nas suas vinhas velhas. Os vinhos aparecem muito mais afinados, a denunciarem um maior conhecimento das vinhas e um trabalho cada vez mais apurado com a madeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *