Comer em Coimbra

Nostálgica e romântica, assim continua Coimbra. Agora mais alegre, pois à fervorosa vida estudantil, que enche de alegria a cidade, juntam-se os milhares de turistas estrageiros que a visitam por estes dias e lhe trazem um colorido adicional. As ruas também estão mais bonitas, principalmente as do centro histórico, com a tendencia nacional da reabilitação urbana a recuperar muitos dos edificios antigos da cidade. Não se pode dizer que seja uma cidade vibrante, mas ainda bem, pois é precisamente através desse charme melancólico que nos continua a conquistar.

Segue-se o resumo telegráfico de como passar 24 horas na cidade da melhor maneira. Haverão muitas outras formas, esta foi a nossa.

14:00 – Zé Manuel dos Ossos

E se chegamos à hora de almoço, nada nelhor que rumar ao centro histórico, com o Modego aos pés e provar a gastronomia regional nesta mítica taberna coimbrã. Para conferir tudo aqui.

16:00 – Subida e visita à Universidade

Depois do almoço impoem-se uma subida pelas ruas intricadas do centro historico até à universidade. O principal ex libris da cidade data do século XIV e tornou-se rapidamente numa referência do ensino europeu da época. Ao longo dos tempos foram muitas as importantes personalidades da vida portuguesa que deixaram o seu nome ligado à universidade, tornado-a um símbolo incontornavel da cidade. Património Mundial da Humanidade, merece uma visita demorada pelo seu interior. O paço das escolas, a porta férrea, a capela de são miguel, a sala das armas, o colégio de jesus e a fantástica biblioteca joanina (onde é proibido tirar fotografias), são algumas das atracções da visita, que termina no varandim da torre da universidade onde se disfruta uma vista ampla e única sobre a cidade.

19:00 – Copo na Praxis

Para recuperar o folego de tão vertiginosa subida e descida, atravesse-se o Mondego, até uma zona residencial moderna onde está localizada a fábrica de cerveja Praxis, para um copo antes de jantar. A Praxis é uma fábrica de cerveja artesanal que também funciona como restaurante. Está inserido num edifício moderno, com grandes janelas a deixar ver o exterior e é o lugar perfeito para ir beber uma cerveja artesanal para abrir o apetite para o jantar.

21:00 – Jantar no Dux Petiscos e Vinhos

Para jantar, o Dux Petiscos e Vinhos é uma excelente opção. Fica numa zona residencial, já fora do centro, mas vale bem a viagem. Como o próprio nome indica, o trunfo são os petiscos e da carta destacam-se uma longa lista de pequenos pratos para partilhar. As pataniscas de bacalhau, o ceviche de atum (na foto), as vieiras com puré de ervilhas ou o prego no pão com batatas, são apenas algumas das muitas sugestões. Nos vinhos, a carta é premiada e inclui uma vasta escolha de vinhos portugueses, mas também alguns estrangeiros. O serviço impecável e o bom ambiente fazem o resto.

23:00 – Copo na Vinharia da Sé. Apesar do nome ainda fica um pouco longe da Sé, mas é o lugar ideal para beber um copo até às 02:00. Vinho e fado, ou gin, numa decoração vintage e cheia de pinta.

11:00 – Visita ao Mosteiro de Santa Clara a Nova

Também conhecido por Convento da Rainha Santa Isabel, fica localizado na margem esquerda do Mondego, num planalto de onde se obtêm boas vistas sobre a cidade. É outra das principais atracções da cidade que merece uma visita mais demorada, pois é um lugar que testemunha alguma da história da cidade e da sua padroeira, a Rainha Santa Isabel, que aqui foi sepultada.

12:00 – Passeio pelo casco antigo

Deixarmo-nos levar pelo charme da Coimbra antiga, pelas intricadas e inclinadas ruas do centro histórico, é a melhor forma de sentir o pulso à cidade.

13:00 – Visita à Sé Velha – As serenatas na escadaria do seu adro são uma das imagens mais marcantes da Queima das Fitas de Coimbra, deste que é um dos edifícios mais antigos da cidade. A Sé Velha data do século XII e é outro dos monumentos que merece a nossa atenção pela sua riqueza histórica e arquitéctonica. Chegar la cima custa, mas subir a pé as empinadas Rua de Fernandes Thomas e a famosa Rua do Quebra Costas, faz parte da experiência. Em frente à podemos ver o prédio onde viveu Zeca Afonso.

14:00 – Petisco na Tasquinha

Se a fome não for muita, a Tasquinha é o local ideal para dar descanso às pernas depois da subida à Sé, enquanto se come um petisco, uma sandes de ovo, ou ou hamburguer. Num dos locais mais castiços da cidade, permanece inalterado o esplendor de uma verdadeira tasca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *