Dinastia Vivanco (Briones, Rioja)

Voltamos à Rioja. Agora a Briones, antiga e encantadora aldeia que alberga a Adega e o Museu da Cultura do Vinho Dinastia Vivanco.

 

 

Propriedade da Fundação Dinastia Vivanco, reúne nos seus 4000m2 a colecção de arte da família Vivanco, onde o visitante tem a oportunidade de fazer uma viagem através da história do vinho, dos tempos ancestrais aos dias de hoje.

 

 

O elevador que nos leva ao interior da Adega.

 

A história da família Vivanco no mundo do vinho da Rioja começa em 1915 quando Pedro Vivanco Gonzalez começa a produzir vinho na região de Logrono. As gerações seguintes foram responsáveis pela prosperidade do negócio e nos finais dos anos 60, Pedro Vivanco (filho), um dos membros da terceira geração da família, assume os destinos da empresa, enquanto vai coleccionando todo o tipo de objectos e obras de arte relacionados com o vinho, outra das suas paixões.

 

Mas o passo mais importante é dado já nos anos oitenta, quando adquire terras em Briones, na Rioja Alta, para onde transfere a produção da empresa, posicionando-a definitivamente no mercado de vinhos de qualidade. Hoje, com cerca de 400 hectares de vinha, são os seus filhos que têm a responsabilidade dos destinos da Dinastia Vivanco.

 

A actual adega impressiona pela tecnologia e exprime na perfeição o lado mais moderno e sofisticado da Rioja de hoje.

 

Aqui tudo é automático, até a abertura das portas, que nos levam à comovente sala octogonal, com as suas 111 colunas, onde repousam os vinhos mais importantes da casa. É impossível ficar indiferente perante tanto esplendor 🙂

 

 

A sala de provas permite ao visitante provar os vinhos que quiser descontraidamente.

 

Dinastia Vivanco Crianza 2009 (nota pessoal 15,5+), monocasta de Tempranillo, estagiou 16 meses em barricas usadas de  carvalho francês. Com a enologia da responsabilidade de Rafael Vivanco, é um vinho que ilustra bem a modernidade dos vinhos da Rioja, com a fruta e a barrica muito expressivas, onde as especiarias dão algum entusiasmo ao conjunto. Final de boa persistência para um vinho guloso e consensual. Custa cerca de 8€.

 

Dinastia Vivanco Reserva 2007 (nota pessoal 16+), também este de Tempranillo, temperado com 10% de Graciano. O perfil vem no seguimento do crianza, moderno, com fruta e barrica bem presentes. Este com uma concentração maior, o que o torna um vinho de bom porte, muito guloso, arrisco-me a dizer, um vinho para sacar medalhas em qualquer concurso do mundo. Custa cerca de 14€.

 

Dinastia Vivanco Branco 2012 (nota pessoal 15+), como o rótulo indica, Viura, Malvasia e Tempranillo compõem este vinho jovem, directo e sem grandes pretensões. Custa cerca de 6€. De destacar que as garrafas Vivanco têm um design muito próprio, inspirado numa garrafa artesanal do século XVIII.

 

Depois, o museu…

 

Inaugurado em 2004, pelo Rei D. Juan Carlos I, o museu da cultura do vinho tornou-se rapidamente numas das maiores atracções turísticas da Rioja e tem sido várias vezes considerado um dos melhores museus do mundo.

 

 

 

A colecção de mais de 3000 saca-rolhas…

 

Houve ainda tempo para conhecer os topos de gama da casa. Colección Vivanco Parcelas de Garnacha 2008 (nota pessoal 16,5). Pensei que fosse aqui encontrar um estilo mais clássico, mas não. O perfil do vinho vem todo no seguimento do que tinham sido os anteriores. Boa concentração, muito aromático, fruta e madeira em abundância, um tinto robusto, com muito porte e de final intenso e persistente. Custa cerca de 40€.

 

 

 

 

Uma obra que transcende o universo do vinho, um bastião da cultura enófila, um lugar que qualquer aficcionado deveria visitar pelo menos uma vez na vida.

Dinastia Vivanco
Carretera Briones a Peñacerrada, 26330 Briones, La Rioja, Espanha
Tel: +34 941 322 013
Visita à Adega e Museu, 15€ (é aconselhável a marcação antecipada).

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *