Espumante PGA Branco Bruto 2017

Da última gala da revista Grandes Escolhas trouxe o nome de um recente projecto da região cujos vinhos ouvi falar elogiosamente. Os vinhos em causa chamam-se PGA e pertencem ao projecto pessoal de Pedro Guilherme Andrade, um técnico com créditos firmados na enologia e viticultura. Nunca tinha ouvido falar nos mesmos e também por isso fiquei com curiosidade de os conhecer…

Nem de propósito, no dia seguinte, depois de uma noite bem passada no hostel mais enófilo do país, uma relaxante caminhada matinal levou-me até à loja da Rota da Bairrada, onde pelo meio de tanta e tão boa oferta, lá me deparei com os ditos PGA. Trouxe três garrafas para provar, uma de branco, outra de tinto e ainda um espumante.

Todos os vinhos eram da colheita de 2017. O tinto (PGA Reserva Tinto 2017) é feito com 60% Baga e Touriga Nacional, o branco (PGA Reserva Branco 2017) com 40% Cercial, 40% Chardonnay e Arinto e o espumante (PGA Espumante Branco Bruto 2017), 40% Bical, 30% Cercial e Chardonnay. As uvas são provenientes de vinhas de família, algumas antigas, localizadas na zona de Anadia.

A característica principal, transversal aos três, é que são vinhos ainda jovens, muito bem feitos e com boa presença de boca. O tinto e o branco são vinhos consensuais, de ataque frutado, alguma tosta e excelente acidez (mais o tinto), a mostrarem um bom compromisso entre classicismo e modernidade. O espumante elevou a fasquia e dos três seria aquele que voltaria a comprar sem pestanejar.

Jovem e fresco, bem vivo, de ataque limonado bem proporcionado, é um espumante seco e gastronómico que será um bom parceiro à mesa. Apesar da bolha ainda um pouco afoita, mostra-se equilibrado e harmonioso, com tudo no sítio certo. Um vinho fiel à Bairrada, que dá muito prazer a beber e do qual é difícil não gostar. Imagino-o a acompanhar umas Tripas à Moda do Porto.

Vale a pena conhecer os vinhos deste projecto. Deixam a sensação que vão melhorar com o tempo de garrafa e que provavelmente sairão mais afinados nas próximas colheitas. Penso que se pode arriscar mais um pouco, em busca de um estilo mais arrojado. Os vinhos custaram-me cerca de 7€ cada um e tendo em conta o que oferecem parecem-me com um preço ajustado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *