Hugo Mendes Branco 2017

Definitivamente estes não são vinhos para serem bebidos no ano do engarrafamento e muito menos tirarem-se grandes ilações sobre os mesmos nesse período. Já tinha acontecido com o 2016 e agora foi a vez do 2017. Quem o viu e quem o vê, parece outro vinho. Perdeu os aromas mais primários, está mais sóbrio, ao mesmo tempo que ganhou algum volume. Muitos, principalmente aqueles que preferem os brancos com mais corpo, dirão que é um vinho demasiado fino, outros preferem-no assim, mais leve, com o perfil elegante que tem caracterizado estes brancos do Hugo Mendes. Agradar a todos nunca vai ser possível, por isso mais vale ser teimoso e lutar-se por aquilo em que se acredita. E nisso sou obrigado a dar os parabéns ao Hugo Mendes, pela teimosia, por acreditar naquilo que quer e por provar que nem sempre o caminho mais fácil é o melhor. Gostei muito do vinho, num jantar caseiro descontraído a acompanhar uns janquizinhos fritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *