Hugo Mendes Lisboa 2018

3 do Mendes! Durante o mais recente Adegga Festival. O Fernão Pires ainda a gatinhar, contido, muito fino, quase frágil, mas com carácter, desalinhado com o enjoo floral da maioria dos Fernão Pires. Aguardemos para ver para onde vai, lembrando que o Lisboa 2016 também criou apreensão ao início. O Vital já parece estar numa fase de namoro mais adiantada com a garrafa. Também fino (são vinhos com 11%), com pouca estrutura, mas já a mostrar mais que o Fernão Pires e, acima de tudo, a deixar boas indicações por onde este poderá seguir. Por último o Hugo Mendes Lisboa 2018, lote de Arinto e Fernão Pires como habitual, que já está numa bela forma e que me pareceu o vinho mais bem conseguido deste recente projecto até ao momento. De bom equilibrio, entre fruta, acidez e estrutura, a dizer-nos que de colheita para colheita a coisa vai ficando mais afinada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *