Mosel

Decididamente dos lugares mais bonitos onde já estive.

É um cenário tão perfeito que não parece real, parece que vai alguém à nossa frente a colocar um cenário de filme para a nossa passagem. O verde imaculado das vinhas, a tranquilidade do rio, as aldeias, muito antigas e impecavelmente preservadas, mas também os monumentos, o património e as gentes, parece tudo saído de um filme fantástico.

E a juntar a tudo isto ainda temos o vinho, cartão de visita maior de toda esta imensa região.
Com dois mil anos de história, o rio Mosel já viu chegar e partir muita gente, muitos povos que com a sua cultura foram contribuindo para moldar a paisagem hoje existente. Os Celtas e os Romanos foram dos primeiros a chegar e ainda hoje a casta Elbling é uma herança viva destes últimos. Mas é a Riesling a grande rainha do Mosel, considerada por muitos como uma das melhores castas brancas do planeta, notável no seu habitat, permitindo a solo uma gama impressionante de diferentes estilos de vinho, como tive oportunidade de constatar durante estes dias que passei na região.

Deixo para já alguns postais do Mosel com a promessa de dentro dos próximos tempos voltar com algumas publicações sobre esta memoravel viagem.

Weingut Staffelter Hof, na pitoresca aldeia de Krov, uma adega com mais de 1000 anos. Está na posse da actual família há cerca de 200 anos.

Krov é uma aldeia que parece saída de um conto de fadas e um paraíso para os enófilos. São mais de 50 adegas, muitas delas coladas umas às outras, numa localidade com apenas 2000 habitantes.

S. A. Prum em Wehlen, um dos produtores míticos do Mosel.

O charme da medieval Traben – Trarbach.

Em Krov, o wine bar do hotel Karolingerhof, com uma boa oferta de vinho a copo de produtores locais.

Trier, a cidade mais antiga da Alemanha.

Markus Molitor, com cerca de cem hectares de vinha, entre o rio Mosel e o Saar, é actualmente o maior produtor da região.

A gastronomia local no Weinstube Kesselstatt, na zona histórica de Trier, um restaurante com grande oferta de vinhos.

De barco pelo Mosel, uma boa forma de conhecer algumas das mais importantes vinhas da região.

Vinothek, em Bernkastel, cerca de 200 vinhos disponíveis para prova por 15€ (!).

As paisagens do Mosel

Krov, a partir das vinhas inclinadas da Weingut Staffelter Hof.

 

Bernkastle, um postal medieval.

Clemens Busch, referência maior da bio-dinâmica no Mosel. A produzir em modo biológico desde 1984.

Os preparativos para a festa dos Riesling-Kartell, seis produtores unidos na promoção dos seus vinhos. Musica, gastronomia, alegria e vinho, muito vinho, tudo num cenário idílico junto ao Mosel.

Punderich é mais uma das pitorescas e muito bem preservadas aldeias das margens do Mosel e o paraíso para os muitos adeptos de caminhadas que por esta altura procuram os seus trilhos com paisagens únicas.

Burg Eltz, uma das maiores atracções extra vinho da região. Um monumento com mil anos, nunca destruído. Único.

As vinhas mais inclinadas da Europa estão em Bremm, junto ao Monte Calmon. Vertiginoso.

Até os gelados são de Riesling!

Depois de dias cheios de descobertas sabe bem terminar com o conforto da mesa do Reichsschenke Zum Ritter Götz, em Krov.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *