Poças Fora da Série

Poças Fora da Série Ânfora 2018 e Poças Fora da Série Orange 2018 são os dois vinhos que dão início à gama Fora da Série, que a centenária empresa Poças acabou de apresentar ao mercado. Com este lançamento dá-se início a um projecto de vinhos especiais, de tiragens muito limitadas, menos intervencionados e mais ecológicos, que procuram recuperar técnicas antigas. Uma atitude experimental e criativa, aliada a uma tendência do mercado, inspiraram a criação desta nova gama.
O Ânfora é um lote de Códega de Larinho e Arinto, fermentado com leveduras autóctones em ânforas de mecanismo botijo e estagiado nas mesmas. Límpido, jovem e fresco, é um branco caracterizado pela elegância e por um perfil “desviante” que lhe confere uma boa dose de carácter. Apenas 600 garrafas ao preço de 35€ cada. O Orange é um 100% Arinto, fermentado em barricas usadas com o método de curtimenta e estagiado nas mesmas por um período de oito meses. Mais carregado na cor, revela uma boa complexidade aromática, num estilo seco, fresco e muito gastronómico. As 800 garrafas terão um preço de 22€ cada. Ambos os vinhos terão como destino os mercados internacionais onde a Poças trabalha, devendo ficar alguns exemplares em Portugal que poderão ser encontrados em garrafeiras e restaurantes seleccionados.
O momento serviu também para conhecer as novas edições do Vale de Cavalos, agora com uma imagem mais actual e sugestiva. O branco de 2018 é um lote de Códega do Larinho, Gouveio, Viosinho e Rabigato, de vinhas situadas nas zonas mais altas do Douro Superior, que teve um breve estágio em barrica. Jovem, fresco, gastronómico, uma colheita especialmente feliz deste branco da Poças. O tinto tem um lote maioritário de Touriga Nacional, com alguma Touriga Franca e outras castas em menos percentagem. Assim como o branco também ele se define pelo lado da frescura e sobriedade, com um bom compromisso entre presença e elegância. Por 8€ são duas boas relações qualidade-preço no competitivo campeonato deste segmento.  
Estes clássicos da Poças raramente falham e o recém chegado ao mercado Colheita de 2009 mostra bem porquê. Fresco, equilibrado, com uma acidez muito boa, a conferir um estilo cativante e delicioso, que se prolonga pelo final de boca. Uma aposta segura neste segmento de Vinho do Porto.

A apresentação, que teve lugar no Restaurante Prado, onde António Galapito nos oferece a sua cozinha leve, fresca e criativa, contou com a presença de Pedro Pintão, director de marketing e comunicação da Poças e de Jorge Pintão, director de enologia. Além dos vinhos referidos anteriormente, também o Vintage de 2017 e o Vermute Soberbo, que chegará brevemente ao mercado, foram apresentados nesta circunstância. A colheita de 2017 foi marcada no seu final por um calor severo que proporcionou uma sobre-maturação ideal para a criação de Porto Vintage e este exemplar da Poças vem reforçar a consistência que este estilo de Porto tem ganho nos últimos anos no universo da empresa. Denso, escuro, de grande concentração, é um Vintage equilibrado, fresco e com um final longo e muito persistente (pvp 65€). O Vermute Soberbo recupera uma referência histórica da empresa produzida nas décadas de 30 e 40. Com infusões preparadas através dos botânicos colhidos nas quintas da Poças, esteve Vermute é um aperitivo delicioso e será lançado oficialmente durante o mês de Junho.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *