Quinta Varzea da Pedra Arinto 2015

Já falei aqui neles, mas insisto. São vinhos que merecem ser conhecidos.

Depois da primeira abordagem nesta circunstância, tive a oportunidade agora, na tranquilidade de um jantar caseiro, de beber o Arinto. Ainda gostei mais do que na primeira vez. Acompanhou de forma sublime uma salada de ovas de bacalhau, exigente, com cebola, coentros (não tinha salsa), pepino (cortado aos cubos muito pequeninos) e temperada por uma generosa vinagrete.

Sério, personalizado e fiel à casta (e só não digo fiel à região porque não tenho bagagem suficiente sobre os vinhos produzidos na DOC Óbidos). Contido de aromas, com citrinos, alguma, pouca, fruta branca e elegantes sugestões minerais. Na boca mostra muito mais. A fruta dá volume, tem complexidade, um tanto de gulodice, a apetecer mais um copo e, como não podia deixar de ser com esta casta, uma acidez afirmativa, salivante, que equilibra o conjunto e lhe proporciona um final de boa persistência.

Vai no bom caminho este jovem projecto do Oeste, que possam continuar o bom trabalho e a proporcionar-nos mais vinhos como este (que me custou cerca de 8€ no Intermarché de Mafra).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *