Vinothek (Bernkastel-Kues, Mosel)

Volto ao Mosel para recuperar um momento inesquecível dessa viagem, a visita e prova na Vinothek em Bernkastel-Kues. Bernkastel-Kues é uma cidade histórica do Mosel e um autêntico postal medieval, tudo limpo, florido, com os seus edíficios muito antigos impecavelmente – à boa maneira alemã – preservados. Como estávamos a dormir em Krov, a opção passou por deixar o carro parado e apanhar o barco, rio abaixo, pelo meio de algumas das mais míticas vinhas da região, num passeio idílico. Mas as belezas da região e de Bernkastel-Kues ficam para outra altura, pois o motivo desta publicação é a loja/garrafeira/museu Vinothek, inserida no espaço do Hospital St. Nikolaus.

Não é habitual encontrarmos uma loja de vinhos e museu no perímetro de um hospital, soa estranho até, mas fiquei a saber que este tipo de hospitais/lares, dirigidos a faixas etárias mais adiantadas, têm no Mosel uma ligação muito próxima com o vinho e quase todos são também produtores, envolvendo os doentes/residentes no processo. Talvez seja essa a razão porque no St. Nikolaus Hospital encontramos uma loja-cave-garrafeira que é uma verdadeira embaixada de toda a região e um dos lugares relacionados com o vinho mais surpreendentes onde já estive.

Imaginem uma garrafeira onde à entrada vos pedem 15€ e vos dão um copo e uma lista para a mão para poderem provar todos os mais de 200 vinhos que estão disponíveis para venda. É um sonho para qualquer eno-chato. Melhor, todos os vinhos estão climatizados, numerados e identificados com a informação do produtor e do vinho que estamos a provar. Parece brincadeira, o paraíso escondido na cave dum hospital de uma cidade da Alemanha profunda. Cheguei mesmo a beliscar-me. A partir do momento que descemos aquelas escadas estamos entregues a nós próprios, podemos provar ou beber aqueles mais de duzentos vinhos, ao ritmo que quisermos, pela ordem que entendermos, sem ninguém a morder-nos os calcanhares. E garanto-vos que não vi ninguém a abusar ou a trocar o passo, só um grupo de séniores americanas é que estavam a rir e a falar muito alto.

Obviamente que não estão ali as gamas altas nem os topos de gama, mas cada produtor está representado por um vinho (quase todos entre os 8€ e os 16€) que entende ser um bom cartão de visita para o seu projecto e isso permite de uma forma perfeita que o visitante fique com uma ideia abrangente dos vinhos que se estão a produzir na região e respectivos perfis. Felizmente que na recepção da garrafeira está o Karl (é a ele e a mais ninguém que se devem dirigir), um apaixonado conhecedor do Mosel, que tem a simpatia de nos explicar o conceito do espaço e de nos dar algumas sugestões daquilo que não devemos perder. Sem darmos por isso passou uma manhã e não fosse a Sra Joli começar com olhar nº5 era empreitada para o dia todo. Esta é aquela morada que vocês não vão querer perder aquando no Mosel.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *