La Rioja (Espanha)

Elciego (com a imponente igreja de Santo André ao fundo) poderia ser mais uma pacata aldeia da Rioja Alavesa, não a tivesse Frank Gehry colocado no mapa com uma das suas mais emblemáticas obras, o Hotel Marques de Riscal.

La Rioja Alta, em Haro, um produtor com nome de região.

Incontornável numa visita pela região, o Museu da Cultura do Vinho e a adega da Dinastia Vivanco.

Marques de Riscal

Haro, a cidade da Rioja que alberga algumas das mais importantes adegas da região.

Lopez de Heredia, um dos grandes tesouros vínicos mundiais.

A tradição em Lopez de Heredia.

Bodega Ysios, na Serra Cantabria, mais um marco arquitectonico da região.

Bilbao e San Sebastian marcam a gastronomia da região. Aqui, a vieira com creme de batata do Gure Toki.

O Guggenheim de Bilbao.

Apaixonante Rioja. As expectativas estavam ao alto, muito criadas por tudo o que a região representa no mundo do vinho, mas nada nos preparou para o que íamos encontrar. Umas das mais importantes regiões produtoras de vinho do mundo, umas das mais antigas também, soube modernizar-se e adaptar-se aos novos tempos, criando um conjunto de atracções, capaz de captar visitantes dos quatro cantos do mundo.

O enoturismo, obviamente, é uma importante peça desta engrenagem, mas a região soube, de forma exemplar, captar visitantes com interesses nas mais variadas áreas. Da gastronomia à arquitectura, da religião às suas gentes, da cultura ao património, uma sintonia de ofertas que proporcionam uma experiência verdadeiramente memorável. A proximidade ao País Basco, com as vibrantes Bilbao e San Sebastian, também é uma peça fundamental em toda esta equação.

Este pequeno apontamento servirá de introdução para um conjunto de posts que irão surgindo, à medida que a disponibilidade e a disposição ditarem, sobre alguns dos momentos mais marcantes desta viagem. Espero que gostem, pelo menos tanto como eu vou gostar de os escrever. Saludos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *