Quinta das Bágeiras Branco 2017

Ao beber este vinho lembrei-me de uma crónica de Jancis Robinson que li durante um recente período de férias (na Revista de Vinhos, julgo) onde se falava da actual obsessão do mundo pela definição de terroir. Todos querem ter terroir e ser originais, no fundo, ter algo para vender que mais ninguém tem.

E nós, há tanto tempo com isto à porta de casa continuamos a perder tempo a tentar reinventar a roda.

O rótulo mudou mas a Bairrada de Mário Sérgio continua toda lá. A genialidade num corte de Maria Gomes, Bical e Cercial. Esta foto, presunção à parte, podia ilustrar na perfeição o referido artigo. E até não ficava mal a legenda “Tanto terroir por menos de 5 euros”.

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *