Rei dos Leitões, Colecção Primavera 2018

Há muito que o Rei dos Leitões se diferenciou da restante oferta gastronómica da região. Não é de agora.

Além do famoso leitão assado, grande ex libris da casa que continua a atrair muitos apreciadores, existe para quem não gosta de leitão (como se isso fosse possível) ou simplesmente quer diversificar, uma vasta ementa alternativa.

Em apresentação à imprensa, dirigida pela proprietária Licínia Ferreira e pelo gestor António Paulo Rodrigues, foi dada a conhecer a nova carta de Primavera que aposta forte nos peixes e mariscos, com um conjunto de pratos que refletem a actual cozinha desta casa mítica da Mealhada, que mostram que a oferta do Rei vai muito além do famoso reco assado.

A apresentação decorreu na recente Sala dos Amigos do Rei, que a par da Sala do Rei (uma mesa do chef, com acesso privilegiado à cozinha), criam dois ambientes mais intimistas para almoços de negócios, eventos, ou momentos especiais.

Manteiga de Trufa. À moda da Bairrada, acrescento eu.

Uma das entradas da nova carta. Caviar, Percebes, Salicornia e Aipo.

Outra das entradas. Vieira, Abacate, Ouriços e Cebolinho.

Ainda nas Entradas, um prato que ilustra bem a actual cozinha do Rei dos Leitões liderada pelo Chef Carlos Fernandes. Loiças bonitas, empratamentos cuidados e produtos de primeira classe. Carabineiro, Abóbora, Rabanete e Manjericão.

Uma das propostas de Peixe da nova carta, Robalo, Agrião, Cheróvia e Rúcula.

Nas carnes, apesar da diferente abordagem, é incontornável o produto emblemático da casa. Leitão, Trufa, Laranja e Cenoura (o leitão é cozinhado durante várias horas, a baixas temperaturas, depois desfiado e moldado).

Passando às sobremesas, da responsabilidade da Chef Pasteleira Lídia Ribeiro, uma das propostas é este prato de Queijos, Abóbora, Tomilho e Gengibre.

Que, diga-se de passagem, acompanhou lindamente com este clássico bairradino da Quinta do Poço do Lobo.

Nos doces, uma nova abordagem à famosa sobremesa alentejana com a Sericaia, Ameixa, Amendoa e Hortelã.

E, para terminar, o inevitável doce conventual da região, Morgado do Bussaco, Nozes, Lima Kaffir e Mel (que aqui foi feito com limão em vez da lima, se bem percebi).

Os vinhos escolhidos para esta apresentação representam uma micro amostra das cerca de 3000 (!) referências disponíveis na Adega do Rei, a garrafeira da casa. O serviço de vinhos é da responsabilidade do Chefe de Sala, Fernando Ruas.

Os fornos.

A sala principal do restaurante, com uma “pequena” garrafeira ao fundo.

Carlos Fernandes, Licínia Ferreira e António Paulo Rodrigues.

Estar muito à frente, não só da restauração da região mas também a nível nacional, é ter um carregador de veículos eléctricos exclusivo para clientes e wi fi livre sem password, só para dar dois exemplos.

Um ano após a grande intervenção no restaurante, com a criação das salas privadas, a modernização da cozinha e uma nova decoração, o Rei dos Leitões continua a cimentar a sua posição como grande referência gastronómica da região. Seja pelos muitos reconhecimentos e prémios atribuídos, entre eles o Garfo de Ouro do Guia Boa Cama Boa Mesa, do Expresso (caso único no distrito de Aveiro), seja pela distinta oferta que possibilita ir muito além do leitão assado à moda da Bairrada. É ir e conferir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *