A Escola (Alcácer do Sal)

Feriado nacional. Final do mês. Muito sol. Ora quando se juntam estes ingredientes não há crise que aguente, o povo anda feliz e convém aproveitar.
Junte-se assim um grupo de amigos e rume-se a sul. Destino, Praia do Carvalhal (Comporta).

Não é as Caraíbas, mas com praias destas “à porta de casa” quem precisa de ir tão longe? Passado o dia de praia a barriga começa a dar horas e o local escolhido para aconchegar o estômago foi o Restaurante A Escola. Ainda houve quem falasse em saladas, mas foi imediatamente e delicadamente levado ao banho para refrescar as ideias.

A Escola era mesmo uma antiga escola primária do tempo do Estado Novo

Nas entradas: Pimento desfiado. O pimento estava muito bom e o escabeche de coentros (coentrada) que o temperava dava-lhe um sabor muito tradicional.

Cenoura aberta. A cenoura também vem no escabeche, mas não funciona tão bem como o pimento. O sabor mais doce da cenoura acaba por perder-se com a acidez do vinagre.

Coelho de Coentrada. Um dos best-sellers da casa. Sem comentários. Só provando.

Choco Frito. O choco era muito fresco e estava com a textura perfeita. Bom, dentro da normalidade.

A muito aclamada Empada de Coelho Bravo. Talvez o prato mais emblemático da casa. O louro dá-lhe um sabor tão característico que de olhos fechados conseguimos perceber que estamos a provar a empada da Escola. Muito bom.

Espetada de Choco e Camarão. Um prato que vence pela qualidade dos produtos. O choco e o camarão de muito boa qualidade e depois o complemento dos legumes assados fazem um conjunto muito saboroso. O tomate era uma delícia, quem me dera apanhar este produto para as saladas do dia-a-dia.

O prato que mais gostei. Enguias Fritas com Açorda de Tomate. Fomos avisados quando pedimos o prato que as enguias eram grandes para fritar, apesar disso estavam muito saborosas. Mas o que impressionou foi a açorda. Merece ser um prato principal em vez de um acompanhamento. A qualidade dos enchidos alentejanos, o sabor do tomate e a frescura dos coentros, produtos frescos de muita qualidade criam um prato excelente. Esta açorda é um exemplo maior da riqueza da nossa gastronomia tradicional.

Morgado de Figo. Sem exageros, dos melhores que já comi. Textura, sabor e doçura no ponto perfeito. Muito bom.

Doce da Casa. Ovos, amêndoa e açúcar, por cima umas gotas de limão. Tão bom!

Para acompanhar o jantar bebeu-se sempre o Monte das Servas Rosé 2007. Talvez os pratos pedissem algo mais consistente, mas o ambiente a cheirar a areia da praia puxou para algo mais fresco. Com o café lá veio o habitual Licor de Bolota (oferta). De resto, o que não falta é escolha na carta de vinhos. Só do Alentejo são mais de cem referências. E foi sem espanto que em 2008 recebeu o prémio de melhor carta regional atribuído pela Revista de Vinhos. Os preços variam entre os justos e os abusados, é preciso saber escolher. As temperaturas de serviço são as correctas, quase sempre, os copos é que já tiveram melhores dias e estão a pedir reforma.

A Escola continua com nota alta, um lugar que trata a cozinha tradicional com muita arte. No período do Verão é muito aconselhável fazer reserva, a não ser que não se importem de esperar cá fora a saborear um moscatel. No final paga-se pela refeição descrita 15€ por pessoa, sem vinhos. Incrível!
Um lugar para voltar vezes e vezes, sem parar.

Restaurante A Escola
Encerra às segundas
Estrada Nacional 253 – Cachopos – 7580-308 ALCÁCER DO SAL
(Vindo pela Estrada Nacional 253, entre Alcácer e Tróia, ao avistar a placa de Cachopos, vira-se para a Escola)
Telefone: 265 612 816

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *